quinta-feira, 23 de setembro de 2010

ÁRVORE GENEALÓGICA DA FAMÍLIA SOARES

DEZESSEIS FILHOS QUE COMPÕEM A ÁRVORE GENEALÓGICA DA FAMÍLIA SOARES
COM OS DOIS BRASÕES SOARES E PAIVA

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

GENEALOGIA DA FAMÍLIA SOARES

RAÍZES GENEALÓGICA DA FAMÍLIA SOARES
SEBASTIANA DE ARAÚJO BARROS - MÃE DE GONÇALO SOARES DE OLIVEIRA
DOROTHEU PEREIRA DE PAIVA E THEREZA FRANCISCA DE PAIVA
PAI E MÃE DE - TEREZINHA SOARES DE PAIVA




terça-feira, 21 de setembro de 2010

DADOS BIOGRÁFICOS DE

GONÇALO SOARES DE OLIVEIRA E TEREZINHA SOARES DE PAIVA

Gonçalo Soares de Oliveira - Nasceu em 13 de fevereiro de 1870, filho de João Soares de Oliveira e Sebastiana de Araújo Barros. Casou-se primeiramente com Francisca Nunes. Deste enlace amoroso, nasceram: José Soares de Oliveira, Gonçalo Soares de Oliveira e João Soares de Oliveira, ainda cedo, Francisca Nunes faleceu. Pela força do amor, Gonçalo Soares de Oliveira, contraiu segundas núpcias com Mariana Paiva, deste matrimônio nasceu o filho Mariano Oliveira Paiva. Pela força do destino Mariana Paiva faleceu ainda muito cedo. Quisera o destino, Gonçalo Soares de Oliveira, jovem de 31 anos, viúvo pela 2ª vez, conhece Terezinha Soares de Paiva, filha de Dorotheu Pereira de Paiva e de Thereza Francisca de Paiva, Terezinha Soares de Paiva, nasceu no dia 15 de abril de 1883, com 18 anos de idade, porte bonita e faceira, olhos azuis, irresistíveis e inesquecíveis, prometeram um amor eterno e casaram-se no dia 05 de junho de 1901. Deste amor tiveram 16 filhos: Francisco Soares de Paiva (Nasceu no dia 18/03/1902 – Faleceu no dia 27/02/1992), Antônio Soares de Paiva (Nasceu no dia 06/05/1903 – Faleceu no dia 23/03/1994), Raimundo Soares de Paiva (Nasceu no dia 20/05/1904 e faleceu no dia 25/12/1991), Vicente Soares de Paiva (Nasceu no dia 12/11/1905 e faleceu no dia 28/06/1997), Sebastião Soares de Paiva (Nasceu no dia 29/06/1907 e faleceu no dia 28/04/1999), Joaquim Soares de Paiva (Nasceu no dia 28/08/1908 e faleceu no dia 04/05/1969), Maria Soares de Paiva (Nasceu no dia 30/10/1909 e faleceu no dia 07/12/1990), Francisca Soares Ferreira(Nasceu no dia 09/03/1912 e faleceu no dia 26/07/1993), Luis Soares de Paiva (Nasceu no dia 14/10/1913 e faleceu no dia 25/10/2002), Geraldo Soares de Paiva (Nasceu no dia 04/06/1915 e faleceu no dia ??/??/??), João Soares de Paiva (Nasceu no dia 11/03/1917 e faleceu no dia 07/02/1918), Maria do Carmo Soares de Paiva (Nasceu no dia 11/11/1918 e faleceu no dia 06/11/1981), Thomaz Soares de Paiva (Nasceu no dia 28/01/1921 e faleceu no dia 22/03/1974), Walderez Soares de Paiva (Nasceu no dia 03/11/1922 e faleceu no dia 23/01/2000), Maria Glaura Soares de Paiva (Nasceu no dia 18/08/1924 e faleceu no dia 13/11/1978) e Adelino Soares de Paiva (Nasceu no dia 08/06/1927 – Único filho do casal ainda vivo). Papai Ipu, Mamãe Ipu, Vovô, Vovozinha, como chamávamos Gonçalo e Terezinha. Ele foi um incansável comerciante, industrial, fazendeiro, Coronel da Guarda Nacional e político. Nos brindou com exemplos éticos e nobres. Gonçalo Soares era o conciliador de problemas familiares, enérgico, mas ao mesmo tempo justo, amigo, sério, compenetrado, incentivava os filhos ao amor a música e a leitura. Valorizava os inventos da época, tais como a máquina a vapor de sua indústria de beneficiamento de algodão. Proprietário de um dos primeiros veículos da época, como também um dos primeiros rádios a funcionar na cidade de Ipu. Na época da inauguração da primeira hidroelétrica do Ceará, inaugurada nesta cidade pelo seu genro Joaquim Sebastião Ferreira (conhecido no Ipu, como o “Homem da Luz”). Papai Ipu, com todo seu entusiasmo iluminou o casarão com belíssimos lustres de lâmpadas de várias cores (uma raridade naquele tempo). Que este legado jamais seja apagado da memória da família Soares de Ipu. Gonçalo Soares de Oliveira (Papai Ipu) faleceu no dia 11 de maio de 1955. Terezinha Soares de Paiva (Mamãe Ipu), vovozinha, dama nobre, bela e determinada, simples, sábia, cristã fidelíssima, das mãos, saiam o “crochê”, o “tricô”, o bordado, a culinária e o dedilhar de acordes de um “violão”. Faleceu no dia 08 de maio de 1973. Nesta escultura de amor e saudade, nós Soares de sangue continuamos esculpindo a memória deste amor.

Dados biográficos do livro de Itanira.

In Memorian – Luis Soares de Paiva

Alguns dados repassados por Maria Virgínia Soares Pimentel